editorial destaques

O QUE ESTÁ EM FOCO

economia sustentabilidade comunidade política saúde educação esportes polícia

COLUNAS

além da porteira curtas e picantes eco e pet vidas em foco

Publicado em 7 de dezembro de 2018 às 09:56h

Grande quantidade de lama misteriosa aparece em praias e afeta economia de cidade turística do sul da BA

por Foco no Poder

Uma grande quantidade de lama tem aparecido misteriosamente nos últimos meses nas praias de Nova Viçosa, cidade turística do extremo sul da Bahia. O problema, cuja causa ainda não foi determinada, tem afetado a economia local, que é baseada na pesca e no turismo. A prefeitura criou uma comissão para apurar o caso.

Para os moradores da cidade, a lama, que fica dentro do mar, é resultado da dragagem do Canal do Tomba, em Caravelas, feita pela empresa Fibria. A dragagem é um processo feito há 14 anos, de novembro a março, para facilitar a circulação da barcaça, um navio de fundo plano construído principalmente para o transporte de mercadorias pesadas, que escoa a produção de eucalipto da região para o Espírito Santo.

“Não é uma lama normal, isso não é da natureza. Está vindo de empresas na nossa praia. Cinquenta por cento da nossa cidade vive da pesca e outros 50 % do turismo. Essa lama está afetando os dois setores da cidade”, pontou Antunes Monteiro, líder comunitário.

Segundo a bióloga Carla Duarte, a lama afeta o ecosistema do local. “Os microorganismos que estão ali são soterrados pela lama. Não é uma coisa comum, cotidiana, então a gente já vai calculando esses impactos”, disse.

Os empresários da cidade contam que já sentem o reflexo do problema.

“Esse período, no ano passado, tomando como referência o réveillon, eu já tinha vendido 12 apartamentos. Este ano, estamos com três só”, contou Cristiano Martins, dono de uma pousada.

Em nota, a empresa Fibria disse que a dragagem no canal do tomba, em Caravelas, não tem relação com as lamas da praia de Nova Viçosa. A empresa ainda informou que monitora sempre a água do mar, e que o problema pode ser causado por mudanças climáticas.

A Secretaria Municipal de Nova Viçosa informou que uma comissão foi formada com a empresa Fibira, com a prefeitura, Câmara de Vereadores e comunidades, para achar uma solução para o problema.

Fonte- Bahia Notícias

 

Compartilhe nas redes socias: FACEBOOK WHATSAPP


Colunas

Além da porteira
Confira todas as informações sobre o Agronegócio e Economia Local, oportunidades e curiosidades e muito mais.
Curtas e picantes
Engenheiro Civil, Pós Graduado em Marketing Empresarial, participa como estrategista em Campanhas Políticas desde 1985, conhecido por Dilvan Coelho.
Eco & Pet
Doutora em linguística pela PUC-RS (2014) e Mestre em Estudos de Linguagens, pela Universidade do Estado da Bahia - Uneb (2008), Cristhiane Ferreguett.