editorial destaques

O QUE ESTÁ EM FOCO

economia sustentabilidade comunidade política saúde educação esportes polícia

COLUNAS

além da porteira curtas e picantes eco e pet vidas em foco

Diversos disparos

Publicado em 8 de abril de 2019 às 12:32h

Homem morre após carro ser atingido por 80 tiros do Exército

por Vanessa Silva

Os mais de 80 tiros que atingiram um carro e mataram um homem, na tarde desse domingo (7), podem ter sido fruto de uma “confusão”. O caso ocorreu em Guadalupe, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Segundo informações do delegado Leonardo Salgado, da Delegacia de Homicídios da cidade, “tudo indica” que os militares do Exército confundiram o carro com o de assaltantes e, com isso, acabaram matando o músico Evaldo dos Santos Rosa.

Além dele, também estavam no veículo, sua esposa, seu filho de 7 ano, o sogro de Evaldo e outra mulher. Segundo informações do G1 RJ, o sogro foi baleado nos glúteos e está estável. Os demais não foram atingidos, mas um pedestre que passava pelo local e tentou ajudar também se feriu.

“Foram diversos, diversos disparos de arma de fogo efetuados, e tudo indica que os militares realmente confundiram o veículo com um veículo de bandidos. Mas neste veículo estava uma família. Não foi encontrada nenhuma arma [no carro]. Tudo que foi apurado era que realmente era uma família normal, de bem, que acabou sendo vítima dos militares”, relatou o delegado em entrevista à TV Globo. A Polícia Civil foi a responsável por realizar a perícia no local porque os militares tiveram dificuldade em realizá-la por conta da revolta dos moradores que testemunharam o crime.

De acordo com a publicação, os envolvidos prestaram depoimento em uma delegacia militar. Primeiramente, o Comando Militar do Leste (CML) negou ter atirado contra uma família e disse ter respondido a uma “injusta agressão” de “assaltantes”. Depois, em outra nota, o CML disse que o caso está sendo investigado pela Polícia Judiciária Militar com a supervisão do Ministério Público Militar.

Uma das pessoas que estava no carro, a amiga da família conta que os militares não deram qualquer sinalização de que iriam abrir fogo contra o veículo. “Eu não vi onde foi o tiro, mas eu acho que foi nas costas. só que a gente pensou que ele tinha desmaiado no volante (…) A gente saiu do carro, eu corri com a criança e ela também. A gente saiu do carro, e mesmo assim eles continuaram atirando”, disse a amiga, que preferiu não se identificar.

Quanto a Evaldo, seu corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) e deve ser enterrado nesta segunda-feira (8).

Fonte: Bahia Notícias

Compartilhe nas redes socias: FACEBOOK
Compartilhe nas redes socias: FACEBOOK

Colunas

Além da porteira
Confira todas as informações sobre o Agronegócio e Economia Local, oportunidades e curiosidades e muito mais.
Curtas e picantes
Engenheiro Civil, Pós Graduado em Marketing Empresarial, participa como estrategista em Campanhas Políticas desde 1985, conhecido por Dilvan Coelho.
Eco & Pet
Doutora em linguística pela PUC-RS (2014) e Mestre em Estudos de Linguagens, pela Universidade do Estado da Bahia - Uneb (2008), Cristhiane Ferreguett.