editorial destaques

O QUE ESTÁ EM FOCO

economia sustentabilidade comunidade política saúde educação esportes polícia

COLUNAS

além da porteira curtas e picantes eco e pet vidas em foco

Polícia

Publicado em 13 de abril de 2017 às 22:42h

Irmãs são presas por tortura e cárcere privado em Mucuri

Esposa traída queria se vingar da amante e teve ajuda da irmã no crime.
por Carla Félix

Duas irmãs foram presas em flagrante nesta quarta-feira, 12 de abril, em uma casa de veraneio nas proximidades da Orla de Mucuri, acusadas de cárcere privado e tortura.

Maione Góis dos Santos, 32 anos, bacharel em direito, e Renata Góis dos Santos, 34 anos, foram presas em flagrante na quarta-feira (12), em Mucuri, acusadas de cárcere privado e tortura. As irmãs foram detidas numa casa de veraneio na orla da cidade.

A vítima teve apenas seu prenome divulgado, Laudiléia, de 27 anos. Suas mãos foram amarradas para trás e cortadas, agredida com socos e pontapés, seu rosto e o corpo cobertos com molho de pimenta. As agressoras também teriam ameaçado raspar os cabelos e sombrancelhas e introduzir pimenta na genitália da vítima.

A motivação do crime, planejado por Maione, seria se vingar de Laudiléia, amante do seu marido. Renata filmou as agressões da irmã à vítima, que duraram cerca de 20 minutos, quando vizinhos ouviram os gritos por socorro de Laudiléia e acionaram a polícia.

No local, um homem estava do lado de fora do imóvel e disse à PM que se tratava apenas de uma discussão, mas, a polícia adentrou ao imóvel e ele fugiu.

Conforme investigações da Polícia Civil, é possível que Alex, marido de Maione, tenha sido cúmplice no caso, talvez, pressionado pela esposa. Ela teria levado a amante à casa em que costumavam se encontrar – que ele toma conta nas baixas temporadas – e a deixado lá.

A vítima, que confessou que mantinha um relacionamento extraconjugal com Alex há seis meses, levou pontos nas mãos. As acusadas, a princípio, negaram o crime, mas o vídeo produzido com o celular de Renata será usado como prova contra elas.

Depois de ouvidas pelo delegado, foram autuadas em flagrante por tortura e cárcere privado. Mas, o juiz transformou o flagrante em prisão preventiva e determinou o recambiamento das irmãs para o Conjunto Penal de Teixeira de Freitas.

Compartilhe nas redes socias: FACEBOOK WHATSAPP

Colunas

Além da porteira
Confira todas as informações sobre o Agronegócio e Economia Local, oportunidades e curiosidades e muito mais.
Curtas e picantes
Engenheiro Civil, Pós Graduado em Marketing Empresarial, participa como estrategista em Campanhas Políticas desde 1985, conhecido por Dilvan Coelho.
Eco & Pet
Doutora em linguística pela PUC-RS (2014) e Mestre em Estudos de Linguagens, pela Universidade do Estado da Bahia - Uneb (2008), Cristhiane Ferreguett.