editorial destaques

O QUE ESTÁ EM FOCO

economia sustentabilidade comunidade política saúde educação esportes polícia

COLUNAS

além da porteira curtas e picantes eco e pet vidas em foco

Política

Publicado em 10 de janeiro de 2019 às 09:38h

Maia ganha mais apoio para continuar na presidência da Câmara

por Redação
Rodrigo Maia tentará em fevereiro conquistar o terceiro mandato à frente da Câmara — Foto: Najara Araujo/Câmara dos Deputados

Rodrigo Maia tentará em fevereiro conquistar o terceiro mandato à frente da Câmara — Foto: Najara Araujo/Câmara dos Deputados

A bancada do Solidariedade na Câmara, que elegeu 13 deputados federais na eleição de outubro, anunciou nesta quarta-feira (9) apoio à tentativa de reeleição do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Além do DEM de Rodrigo Maia, outras dez siglas já anunciaram oficialmente apoio ao atual presidente da Câmara. Veja o tamanho das 11 bancadas de partidos que declararam apoio a Maia:

  • PSL (52 deputados eleitos)
  • PSD (34 deputados eleitos)
  • PR (33 deputados eleitos)
  • PRB (30 deputados eleitos)
  • PSDB (29 deputados eleitos)
  • DEM (29 deputados eleitos)
  • SD (13 deputados eleitos)
  • Pode (11 deputados eleitos)
  • PPS (8 deputados eleitos)
  • PROS (8 deputados eleitos)
  • PSC (8 deputados eleitos)

As duas últimas adesões à candidatura à reeleição do presidente da Câmara haviam sido do PR e do Podemos nesta terça (8).

Considerando-se as bancadas eleitas em outubro, o DEM de Rodrigo Maia, e as 10 legendas que declararam apoio a candidatura dele, somam 255 deputados. Para vencer a disputa pelo comando da Câmara no primeiro turno, o parlamentar fluminense tem de obter, pelo menos, 257 votos.

No entanto, como a votação para a presidência da Câmara é secreta, não há garantia de que todos os parlamentares seguirão a orientação do partido.

Nesta terça (8), o deputado federal eleito Kim Kataguiri (DEM-SP) ajuizou uma ação do Supremo Tribunal Federal pedindo que a votação para a presidência da Câmara seja aberta. Mas nesta quarta (9), o presidente do STF, Dias Toffoli, rejeitou o pedido.

Em nota divulgada à imprensa, o presidente nacional do Solidariedade, deputado federal Paulinho da Força (SP), disse acreditar que Maia “já demonstrou sua capacidade de conciliar todas as vertentes e pode trazer uma tranquilidade para o momento em que passa a política brasileira”.

“A firme condução de assuntos de extrema importância durante o governo Temer mostrou toda a qualidade de Maia, que se apresenta como a melhor escolha para conduzir os trabalhos, nesse período de renovação em que estarão em pauta no Congresso projetos importantes para o futuro do país”, diz outro trecho do comunicado.

O futuro líder da bancada do Solidaridade na Câmara, deputado Áureo (RJ), esteve nesta quarta na residência oficial de Rodrigo Maia para tratar do assunto.

Segundo Áureo, não houve contrapartida ao apoio à reeleição do presidente da Câmara, como a garantir de cargos na Mesa Diretora ou na presidência das comissões temáticas permanentes.

Mesa Diretora

A eleição que definirá os novos integrantes da mesa diretora da Câmara, entre os quais o presidente da Casa, está prevista para o dia 1º de fevereiro.

Na ocasião, além de presidente, também serão escolhidos dois vice-presidentes e quatro secretários titulares e outros quatro suplentes.

Os dirigentes da Câmara serão responsáveis por dirigir os trabalhos legislativos e administrativos da Casa pelos próximos dois anos.

Com exceção da presidência, cargo para o qual são aceitas candidaturas avulsas, a distribuição das vagas da Mesa Diretora é definida seguindo o tamanho dos partidos ou blocos.

Pré-candidatos

Além de Maia, também estão na disputa pelo comando da Câmara o atual primeiro-vice-presidente da Casa, deputado Fábio Ramalho (MDB-MG), e o terceiro-secretário, deputado JHC (PSB-AL).

Outros que também têm tentado angariar votos para ensair uma candidatura são Kim Kataguiri e o deputado Alceu Moreira (MDB-RS).

Sem apoio do próprio partido – o PR, que ficará ao lado de Maia –, o deputado Capitão Augusto (SP) deverá concorrer com uma candidatura avulsa.

Partidos de oposição como PT, PDT e PCdoB têm feito articulações para lançarem um candidato de esquerda. Pelo PSOL, o deputado eleito Marcelo Freixo (RJ) já se colocou na corrida à presidência. Fonte: G1/BA

Compartilhe nas redes socias: FACEBOOK WHATSAPP

Colunas

Além da porteira
Confira todas as informações sobre o Agronegócio e Economia Local, oportunidades e curiosidades e muito mais.
Curtas e picantes
Engenheiro Civil, Pós Graduado em Marketing Empresarial, participa como estrategista em Campanhas Políticas desde 1985, conhecido por Dilvan Coelho.
Eco & Pet
Doutora em linguística pela PUC-RS (2014) e Mestre em Estudos de Linguagens, pela Universidade do Estado da Bahia - Uneb (2008), Cristhiane Ferreguett.