editorial destaques

O QUE ESTÁ EM FOCO

economia sustentabilidade comunidade política saúde educação esportes polícia

COLUNAS

além da porteira curtas e picantes eco e pet vidas em foco

Estupro

Publicado em 4 de maio de 2018 às 09:29h

Mulher flagra o companheiro tentando estuprar sua filha de 10 anos

por Katia Armini

(Foto do site Medeiros dia a dia)

(Fernanda Silva/ Bex) – O crime ocorreu na noite desta quarta-feira, 02 de maio, por voltas das 19h, em Juracitaba, distrito de Medeiros Neto.

Segundo informações, a mãe da criança saiu para ir à escola, mas teve somente uma aula e foi liberada mais cedo. Ao chegar em casa, ela entrou em silencio e surpreendeu o companheiro Carlos José Bezerra da Silva de 39 anos, com quem convive há oito anos tentando abusar da sua filha de apenas 10 anos.

Segundo o site Medeirosdiadia, no momento de total revolta e desespero, a mãe da menina começou a se descontrolar e a gritar com Carlos José, que fugiu deixando tudo para trás, inclusive os documentos pessoais. Ainda segundo relatos, ele teria fugido para Serra dos Aimorés-MG, onde tem um familiar.

O homem, que é natural da cidade alagoana de Maceió, não é o pai da menina. Após o flagrante, descobriu-se ainda que o ele vinha aliciando e ameaçando a criança desde que ela tinha oito anos de idade.

Carlos José Bezerra da Silva era funcionário da usina Santa Maria e, para prosseguir em fuga, ligou para a empresa pedindo contas.

A Polícia e o Conselho Tutelar foram acionados para cuidar do caso. Na manhã desta quinta-feira (03) a mãe da criança foi ouvida na Delegacia. O Delegado William Teles já abriu inquérito investigativo e, no decorrer das investigações, com recolhimento de mais evidências do crime, a prisão preventiva do acusado poderá ser expedida pela justiça.

A criança foi encaminhada, pelos agentes do Conselho Tutelar, para a realização do exame de conjunção carnal e, logo em seguida, será trazida para Teixeira de Freitas, onde passará por outros procedimentos, para comprovar o crime.

De acordo com o Código Penal, qualquer violência sexual pode ser considerada estupro. Anteriormente, apenas era considerado crime de estupro a penetração vaginal. Além disso, ao contrário do que muitas pessoas pensam, o crime pode acontecer mesmo sem uma agressão física, com atitudes sutis como, por exemplo, o toque no corpo da vítima.

Compartilhe nas redes socias: FACEBOOK WHATSAPP


Colunas

Além da porteira
Confira todas as informações sobre o Agronegócio e Economia Local, oportunidades e curiosidades e muito mais.
Curtas e picantes
Engenheiro Civil, Pós Graduado em Marketing Empresarial, participa como estrategista em Campanhas Políticas desde 1985, conhecido por Dilvan Coelho.
Eco & Pet
Doutora em linguística pela PUC-RS (2014) e Mestre em Estudos de Linguagens, pela Universidade do Estado da Bahia - Uneb (2008), Cristhiane Ferreguett.