editorial destaques

O QUE ESTÁ EM FOCO

economia sustentabilidade comunidade política saúde educação esportes polícia

COLUNAS

além da porteira curtas e picantes eco e pet vidas em foco

Doma Racional

Publicado em 17 de setembro de 2018 às 15:38h

Nada de machucar o animal: Agropecuaristas de Teixeira apostam na “Doma Racional”

por Katia Armini

Aconteceu o curso de domador no distrito de Santo Antonio, uma parceria do Sindicato dos Produtores Rurais com o SENAR. Esse e outros cursos irão continuar acontecendo através desta parceria, comentou o Presidente do Sindicato Rural, Dori Neves que marcou presença juntamente com o Presidente da Cooperativa Mista Artur Teixeira e os proprietários da Fazenda Comanche.

Sr. Zé da Garota, um domador com os seus 60 anos de idade, 40 deles dedicado a doma animal, foi quem deu o curso de Doma Racional de equinos na fazenda Comanche, de propriedade de Kátia Campineira, localizada no povoado de Santo Antônio em Teixeira de Freitas.

De acordo com sr Zé, os equinos são animais inteligentes, cada um com sua personalidade e tendem a resistir a doma através de métodos violentos. Para o professor de doma é preciso fazer uma leitura do animal, conversar com ele, entender sua personalidade  e eixar que ele também entenda o domador. Esse tipo de método, alem de proporcionar uma interação entre o montador e o animal, também consegue angariar colaboração mais efetiva por parte do animal fazendo com que o trabalho seja menos estressante para ambos. De acordo com o domador, equinos, quando são domados de forma agressiva tendem a aprender vícios que boicotam o andamento do trabalho.

“O animal fica mais dócil. Toda vez que domo um animal, procuro entender ele. O animal também faz uma leitura da gente.” explicou  Zé da Garota.

Outra vantagem da “Doma Racional” é o tempo de trabalho com o animal. Em uma doma usando a força e a espora, somente depois de 30 ou 40 dias, o animal está preparado para cavalgar  com o domador. Já com a doma racional essa espera dura apenas 15 dias.

O agropecuarista Leonardo Freire silva fez o curso e aprovou o método:

“Hoje em dia a gente tem que se atualizar, trabalhar com o animal da maneira mais adequada possível (…) A gente consegue tirar proveito do animal com bondade, ou seja, respeitando a natureza do animal”.

Ericelho, gerente da fazenda Comanche, o Sindicato dos Produtores rurais esta com uma diretoria atuante e que, por isso, acredita que este é apenas o primeiros de muitos cursos para atualizar os conhecimentos do homem do campo.

O curso de adestramento via “doma racional” teve por objetivo mostrar ao agropecuarista técnicas de doma que além de não machucar o animal, proporciona baixo índice de acidentes e ainda ganha a parceria do cavalo, mula ou burro, para o trabalho.

Compartilhe nas redes socias: FACEBOOK WHATSAPP


Colunas

Além da porteira
Confira todas as informações sobre o Agronegócio e Economia Local, oportunidades e curiosidades e muito mais.
Curtas e picantes
Engenheiro Civil, Pós Graduado em Marketing Empresarial, participa como estrategista em Campanhas Políticas desde 1985, conhecido por Dilvan Coelho.
Eco & Pet
Doutora em linguística pela PUC-RS (2014) e Mestre em Estudos de Linguagens, pela Universidade do Estado da Bahia - Uneb (2008), Cristhiane Ferreguett.