editorial destaques

O QUE ESTÁ EM FOCO

economia sustentabilidade comunidade política saúde educação esportes polícia

COLUNAS

além da porteira curtas e picantes eco e pet vidas em foco

Economia

Publicado em 10 de abril de 2019 às 06:33h

Vendas no comércio varejista baiano cresceram 5,7% em fevereiro

Dados forma divulgados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI)
por Redação

Foto: Reprodução/Fotos Públicas

Foto: Reprodução/Fotos Públicas

As vendas no comércio varejista baiano cresceram 5,7% em fevereiro deste ano, na comparação com o mesmo mês em 2018. Segundo dados da Pesquisa Mensal de Comércio, da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), no âmbito nacional, a alta foi de 3,9%.

O levantamento foi divulgado nesta terça-feira (9). Nele consta ainda que, na análise sazonal, o comércio varejista no estado baiano registrou taxa positiva de 0,7%.

Segundo o SEI, o crescimento no volume de vendas ao longo do mês pode ser justificado pelo efeito calendário, dado ao deslocamento do feriado móvel do Carnaval, que em fevereiro de 2019 teve 20 dias, enquanto no mesmo mês do ano passado foram 18 dias. Além do efeito base, pois em fevereiro do ano passado a taxa foi negativa em 1,6%, dado a incerteza no cenário econômico vivenciado nesse período.

Por atividade, os dados do comércio varejista do estado da Bahia, quando comparados a fevereiro do ano passado, revelam que seis dos oito segmentos que compõem o Indicador do Volume de Vendas registraram comportamento positivo.

Listados pelo grau de magnitude das taxas em ordem decrescente, têm-se: Outros artigos de uso pessoal e doméstico (15,8%); Móveis e eletrodomésticos (15,2%); Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (13,6%); Tecidos, vestuário e calçados (11,6%); Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (3,3%); e Combustíveis e lubrificantes (0,2%). Quanto aos demais que apresentaram comportamento negativo, têm-se: Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (-20,1%); e Livros, jornais, revistas e papelaria (-50,6%). No que diz respeito aos subgrupos, verifica-se que registraram variação positivas Móveis (19,1%), Eletrodomésticos (13,5%) e Hipermercados e supermercado (1,7%). Fonte: bahia.ba

Compartilhe nas redes socias: FACEBOOK WHATSAPP

Colunas

Além da porteira
Confira todas as informações sobre o Agronegócio e Economia Local, oportunidades e curiosidades e muito mais.
Curtas e picantes
Engenheiro Civil, Pós Graduado em Marketing Empresarial, participa como estrategista em Campanhas Políticas desde 1985, conhecido por Dilvan Coelho.
Eco & Pet
Doutora em linguística pela PUC-RS (2014) e Mestre em Estudos de Linguagens, pela Universidade do Estado da Bahia - Uneb (2008), Cristhiane Ferreguett.